Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

PELÉ:ALGUMAS CURIOSIDADES SOBRE O REI DO FUTEBOL

Como todos sabem,Pelé é o maior jogador de futebol de todos os tempos.É também o atleta do século XX(e,consequentemente,o maior atleta da história),além de ser a pessoa mais conhecida do mundo.
Mas,o que muitos não sabem,são várias curiosidades sobre o Rei do futebol.Algumas delas estão aqui nesta postagem,com curiosidades recolhidas,respectivamente,dos livros "FUTEBOL É UMA CAIXINHA DE SURPRESAS",de Luiz Fernando Bindi, e "A MAGIA DA CAMISA 10",de André Ribeiro e Vladir Lemos.

-Jogavam Noroeste e Santos,em Bauru,na década de 1960.O Santos tinha um time lendário.No meio do segundo tempo,Pepe cobra um escanteio e Pelé faz de cabeça.O juiz,supostamente "na gaveta" (como se dizia de árbitros subornados naquela época),manda voltar,alegando não ter autorizado.Nova cobrança,Pepe bate e Pelá marca de cabeça.O juiz manda voltar:a bola ficara fora do quarto-de-círculo.Após reclamações santistas,o escanteio é cobrado mais um vez por Pepe e... gol de cabeça de Pelé.O juiz aponta o meio-campo e valida o gol.O capitão noroestino o adverte e ouve: "Com esse time,não há juiz que arrume resultado".

-Nos anos 1960,voltando de uma excursão a El Salvador,o avião que levava o time do Santos teve de fazer um pouso forçado em Belém,no Pará.Pelé,cansado da viagem e dos jogos,quis ficar a bordo para evitar o assédio dos fãs.Mas a aeromoça lhe disse que as regras da companhia não permitiam isso. "E aquele sujeito lá na frente dormindo?",indagou o rei.A aeromoça respondeu-lhe diretamente: "Ele é o motivo dessa parada.Teve um infarto e morreu.Resolvemos não avisar ninguém para evitar pânico".Pelé saiu rapidinho do avião.

-Pelé e o papa são pessoas conhecidíssimas no mundo todo.Para um deles,porém,a informação não é de todo verdadeira.No fim de sua primeira viagem fora da Itália,o papa Bento XVI estava em Colônia,na Alemanha,recebendo autoridades.Na fila,Pelé.Ansioso,o ex-jogador logo se ajoelhou quando se aproximou do papa e beijou-lhe a mão de maneira efusiva.Mas o papa reagiu de forma quase indiferente,e perguntou: "De onde você vem,filho?".
Em inglês,Pelé respondeu que estava lá em nome de todos os jogadores de futebol do mundo.Até que o papa foi discretamente avisado por um assessor: "Esse é o Pelé,jogador de futebol".Bento XVI retomou a conversa em outro tom,embora ainda sem entusiasmo.Disse que não acompanhava futebol e estava muito,muito cansado.

-Certa vez,Jair Rodrigues cruzou com Pelé num aeroporto e,com seu jeito brincalhão,disse-lhe: "Tu tá rico,hein,Negão?Uma mala bonitona dessas eu nunca vou ter".
Dias depois,Jair chegou em casa e deparou com uma mala de couro igualzinha à de Pelé.Perguntou à empregada quem trouxera aquilo."Foi um negão que disse que era o Pelé,seu Jair.Vê se pode.Mas não se preocupa não.Nem deixei o homem entrar."

-Pelé,quando pequeno,cujo apelido ainda era Dico,sempre estava lá,vendo seu pai,o seu Dondinho,jogar amadoramente,pelo Vasco,da cidade de São Lourenço.E parece ter granvado no subconsciente o nome de apenas um jogador da equipe em que o pai jogava: o goleiro Bilé.Em 1945,Dico e sua família mudaram-se para a cidade de Bauru,e nas peladas disputadas nas ruas de terra da pequena cidade do interior paulista era comum ouvir Édson gritar: "Defeeeende Pilé...".Ele queria,na verdade,falar "Bilé",mas não sabia.Foi assim que seu apelido acabou virando o mais famoso de todos:Pelé.

-Vestindo a consagrada e cobiçada camisa 10 do Santos,Pelé chegou a disputar 121 jogos em um mesmo ano,numa época em que viajar 32 mil quilômetros e disputar uma dúzia de amistosos em menos de trinta dias não era motivo de espanto.Surpreendente era rejeitar uma a uma as tentadoras propostas que surgiam de todos os lados.Todas elas para ver a magia de uma camisa,o talento de um craque.

-Em 1961 Pelé pisou no gramado do Maracanã para enfrentar o Fluminense em jogo válido pelo torneio Rio-São Paulo.O Santos vencia por 2 a 1 quando Pelé dominou a bola pouco depois do meio de campo.Seria preciosismo listar os seis jogadores que o camisa 10 driblou até chutar na saída do goleiro Castilho.Dias depois,o templo do futebol ganharia uma placa na qual foi escrito:

NESTE CAMPO,NO DIA 5 DE MARÇO DE 1961,
PELÉ MARCOU O TENTO MAIS BONITO
DA HISTÓRIA DO MARACANÃ.
A placa permanece lá,a expressão gol de placa pode ser ouvida ainda hoje,a qualquer hora,nos quatro cantos do país do futebol.

-Certo dia ajeitou a bola para cobrar um pênalti.Os olhos da torcida miraram atentos cada movimento.Um olhar solto em direção ao gol e Pelé dispara,mas foi como se,por uma fração de segundo,o tempo tivesse parado;foi como se,naquele momento,tivesse surgido um contratempo para retratar o grito da torcida- para ele,uma simples "paradinha" com a intenção clara de tirar do goleiro a já minguada chance de defesa.

-No dia 19 de novembro de 1969,Pelé marcou seu milésimo gol,numa noite em que 65 mil torcedores nas arquibancadas do Maracanã e dezenas de milhares ligados no rádio e na televisão aguardavam com ansiedade mais um gol do Rei do Futebol.Aos 33 minutos do segundo tempo,o zagueiro René,do Vasco cometeu pênalti no Rei.Pelé foi para a cobrança e colocou a bola no canto esquerdo de Andrada, o goleiro argentino do Vasco. "Dediquei o gol às criancinhas abandonadas.Me chamaram de hipócrita e alienado.O tempo mostrou quem estava certo",,disse o rei após ser questionado pela imprensa por suas palavras depois de ter feito o gol,falando das criancinhas.
Em 1995 a prefeitura da cidade de Santos decidiu criar o Dia Pelé,homenagem à marca histórica alcançada naquele 19 de novembro de 1969.

-Naquele mesmo ano de 1969,o Santos embarcou para mais uma série de amistosos,dessa vez na África.A excursão previa amistosos no Congo-Kinshasa (ex-Zaire,atual República Democrática do Congo) e no Congo-Brazzaville (atual Congo).O único problema era que os Congos,Kinshasa e Brazzaville,estavam em guerra.Mas,para ver Pelé e sua camisa branca com o 10 nas costas,valia a trégua forçada.O conflito,que se arrastava havia meses,parou com a assinatura de um acordo entre os dois governos.Soldados de Brazzaville foram autorizados a escoltar o barco que levaria a equipe santista pelo rio Congo até a guarda das forças lideradas por Kinshasa.O Santos fez cinco jogos em apenas nove dias.Pelé marcou sete gols,dois deles na segunda partida,contra uma seleção do Congo-Brazzaville.A equipe santista perdia por 2 a 0 e,literalmente,apanhava em campo por causa da péssima arbitragem.Revoltado com a situação,Pelé decidiu protestar.Pensou em abandonar o gramado,mas sabia que essa decisão colocaria em risco sua vida e a de seus companheiros.O protesto mais simples foi pedir que todos os jogadores se sentassem no meio do gramado.No mesmo instante,o árbitro da partida recebeu um bilhete vindo não se sabe de onde.Após ler atentamente,constrangido,conseguiu convencer o time santista a continuar o jogo.O Santos reage,Pelé marca dois gols na virada por 3 a 2.Nos vestiários,Pelé e toda a delegação santista descobriram o que estava escrito no bilhete:

O SANTOS,TIME DE PELÉ,ESTÁ AQUI PARA DAR UM ESPETÁCULO.EU ESTOU AQUI PARA ASSISTIR A ESSE ESPETÁCULO.SE VOCÊ NÃO APITAR SEGUNDO AS REGRAS DO JOGO,VAI SAIR PRESO DO ESTÁDIO.

Comandante Marien Ngobi
Chefe de Estado do Congo-Brazzaville.

Derrotar o Santos de Pelé parecia missão impossível,ainda mais para uma equipe africana que ainda não tinha seu futebol desenvolvido como agora.Na sequência da excursão,o impossível aconteceu.Derrota por 3 a 2 para a seleção do Congo-Kinshasa.O delírio tomou conta das ruas de Kinshasa.Aos gritos eles repetiam: "Vencemos Pelé!Vencemos Pelé!".
Pelé parou a guerra,e,por causa dessa vitória,o presidente Joseph Mobuto oficializou em seu país a data 23 de janeiro como o Dia Nacional do Esporte.

-O homem que deu início à mística da camisa 10 foi antes de tudo um criador.Depois de consagrado,sentou-se no banco de reservas apenas uma vez em toda a sua carreira.Foi em 1970,no empate por 0 a 0 entre Brasil e Bulgária,no estádio do Morumbi,em São Paulo,em um jogo preparatório para a Copa.Só entrou em campo no segundo tempo,substituindo Tostão,e,para não desfazer a mística,vestia a 13.A 10,com certeza,ficara nos vestiários.

-Os que o acompanharam tentando se convencer e convencer o mundo de que um dia ele e o futebol deixariam de ser uma coisa só,viram-no em vários atos.Um deles,escrito na pista de atletismo do estádio do Morumbi depois de enfrentar a Áustria,em julho de 1971:o braço direito erguido ostentava na mão uma coroa.

Na noite de 2 de outubro de 1974,outro ato do mesmo roteiro:a Vila Belmiro,lotada,pulsava entre a euforia e o lamento.Era o fim de um casamento de 18 anos,6 meses e 26 dias.Aos 22 minutos do primeiro tempo da partida contra a Ponte Preta,Pelé ajoelha-se e abre os braços em forma de cruz.Faz um giro para ficar frente a frente com os torcedores dos quatro lados do campo.De pé,com a camisa 10 enrolada na mão direita,dá uma volta olímpica acenando para a torcida.Horas depois a súmula do jogo revelaria a importância de Pelé ao mundo:

A PARTIDA COMEÇOU ÀS 21h11,E ÀS 21h33
O ATLETA ÉDSON ARANTES DO NASCIMENTO
FEZ SUA DESPEDIDA DO FUTEBOL.


-No dia 26 de abril de 1978(já havia parado de jogar profissionalmente),em Kaduna,distante novecentos quilômetros de Lagos,capital da Nigéria,Pelé era o convidado de honra para dar apenas o pontapé inicial da partida amistosa entre o Fluminense e o Racca Rovers,da Nigéria.Segundos antes de cumprir o acordo,ouviu o chefe da polícia local dizer em voz baixa,ao pé do ouvido,que não teria como conter a ira do público caso Pelé não jogasse.Pelé entrou em campo com a camisa da seleção brasileira,mas levou ao delírio o público presente quando tirou a camisa verde e amarela e mostrou que vestia a camisa verde e branca da Nigéria.Como não viera preparado para jogar,o incômodo maior não foi vestir a camisa do time nigeriano durante os 35 minutos iniciais do jogo: difícil mesmo foi calçar a chuteira 37,dois números a baixo da que costumava utilizar.Apesar de permanecer tão pouco tempo em campo,Pelé deixou encantados os torcedores nigerianos.Não marcou nenhum gol,mas saiu do jogo quando o placar estava 1 a 1.Sem as jogadas de Pelé pelo time nigeriano no segundo tempo,a equipe brasileira virou o placar e venceu por 3 a 1.O substituto do Rei do Futebol,o nigeriano Nalando,exigiu vestir a camisa ensopada de Pelé e ao final da partida justificou a atitude:"Quero ser contaminado pelo futebol do 'deus da bola'".
REFERÊNCIAS
Ribeiro,André & Lemos,Vladir.A magia da camisa 10.Campinas,Verus Editora,2006.
Bindi,Luiz Fernando.Futebol é uma caixinha de surpresas.São Paulo,Panda Books,2007.

Nenhum comentário:

Postar um comentário